Google+ Followers

21/07/2014

Lira 31456 é efensor incondicional das igualdades econômicas, social e política

Lira sempre lutou para que a comunidade onde vive tenha seus direitos respeitados e possa crescer e se desenvolver com dignidade





O jornalista, líder comunitário e produtor cultural Ivonildo Di Lira ou simplesmente Lira, como é mais conhecido, é de origem humilde, nasceu há 12 de abril de 1962, em São Rafael (RN) e, desde o ano de 1980, mora na capital federal. É casado há 25 anos e tem um casal de filhos.

Ao chegar a Brasília, no início da década de 80, foi morar na casa de um tio na Asa Sul. Mas não demorou muito para buscar novos desafios. De cara, foi trabalhar de auxiliar de escritório na Lady Perfumarias e, aproveitava o tempo vago para estudar. Realizou diversos cursos profissionalizantes nas áreas de vendas, gerência e administração de empresas. Algum tempo depois deixou a Lady para trabalhar na PhD Consultores, onde ocupou o cargo de Secretário-Geral. A experiência no ramo de comércio exterior lhe permitiu, mais tarde, representar, em Brasília, a ATC Comércio Internacional e trabalhar na Brasif Diplomatic Service por mais de sete anos.

Ele nunca deixou de lutar por seus ideais e por um Brasil mais justo e igualitário do ponto de vista econômico, social e político. Por todos os lugares por onde passou, deixou, como legado, boas amizades e o respeito pela pessoa humana. Decidiu entrar na política para defender os interesses da comunidade e o direito das minorias.
 Em 1986 mudou-se para São Sebastião e, desde então, tem atuado como líder comunitário. Ajudou a criar diversas associações na comunidade, entre elas a Associação de Moradores do Bairro Vila Nova (AMVNO), a Comissão Pró-Independência de São Sebastião, a Associação Industrial e Empresarial de São Sebastião (AIESS) e o Movimento dos Inquilinos de São Sebastião (MISS).
 Na condição de líder comunitário lutou para conseguir vários benefícios para a cidade como, por exemplo, a criação da Administração Regional de São Sebastião (RA-XIV); CAIC Unesco; Parque de Exposições Agropecuárias; Área de Desenvolvimento Econômico (ADE/PRÓ-DF); Transferência dos moradores da Área de Risco para o bairro Residencial Oeste; Criação dos bairros Crixá e Nacional; 30ª Delegacia de Polícia; Vila Olímpica; Inclusão dos bairros Bela Vista, Residencial Vitória, Morro da Cruz e São Gabriel no PDOT, entre outros benefícios.

Trabalhar para o próximo, para Lira, é uma missão concedida por Deus

Sua atuação por melhorias para garantir mais qualidade de vida à população se estendeu a diversas cidades do DF com o apoio outros líderes comunitários

Lira sempre usou seus conhecimentos a favor das causas sociais, e se a cidade de São Sebastião alcançou algum progresso, deve, em grande parte, a essa sua luta comunitária ao longo dos anos. Mas seu trabalho social não se limitou, apenas, a São Sebastião. Cidades como a Estrutural, Recanto das Emas, Candangolândia, Varjão, Itapoã, Brazlândia, Planaltina e Lago Sul também tiveram sua marca registrada por meio do apoio aos líderes comunitários locais e na luta por melhorias e mais qualidade de vida da população.
Ele é uma pessoa simples, honesta, temente a Deus e, acima de tudo, respeitador das pessoas e dos valores cristãos. Dedicou grande parte da sua juventude às causas sociais. Segundo ele, essa foi uma das missões que Deus lhe concedeu aqui na Terra para ajudar o próximo. Por isso, se sente gratificado e com a sensação do dever cumprido. Ele é, também, um homem de visão e que, muitas vezes, se antecipou no tempo para debater questões humanitárias e ambientais como, por exemplo, o fim das armas atômicas e a preservação de nascentes, rios e matas ciliares.

Além disso, tem grande atuação na cultura popular, especialmente com o “Projeto Lira Cultural”, que desenvolve atividades nessa área e apoia diversos artistas e artesãos de São Sebastião. Atualmente, trabalha para resgatar a Festa do Rei Crixá, que fez de São Sebastião a única Região Administrativa do DF com folclore próprio. Dentro desse evento é realizado um concurso para escolher o Rei Crixá e a Princesa Catarina. E essa tradição ele quer que a comunidade perpetue na cidade.

O líder comunitário tem grande preocupação com a legalização das terras rurais e da própria cidade de Sebastião, que ainda não tem registro em cartório. Com isso, de posse das suas escrituras definitivas, os moradores poderão obter financiamentos bancários que lhes permitam fazer construções e benfeitorias nos locais onde vivem. Outra questão diz respeito ao trânsito, que precisa da adoção de medidas preventivas diante do crescimento de moradias na região, com a Santa Prisca e os condomínios Dharma e Alphaville, que pode contarão com 1 milhão de habitantes. Para isso sugere, que se pense, imediatamente, na criação de um complexo de viadutos na altura da Esaf e DF-001. Mais uma necessidade, segundo ele, é uma segunda entrada e saída de São Sebastião, entre o Mangueiral e a Papuda, pegando da DF-001 até a DF-251, cruzando pelo Morro da Cruz, o que valorizaria aquela região também.

Lira quer ser o primeiro líder comunitário a ser eleito deputado distrital

Para ele, a comunidade de São Sebastião precisa de um representante que dê lhe vez e voto na Câmara Legislativa

Nas eleições de 2010, Lira se candidatou pela segunda vez para deputado distrital como representante do Partido Humanista da Solidariedade (PHS), ao qual se filiou em 2009, e obteve 7.206 votos, ficando como suplente na Coligação “Um Novo Caminho”. Referindo-se, ainda, à vida pública e profissional, Lira foi, nos últimos 20 anos, Assessor Parlamentar da Câmara Legislativa do Distrito Federal, Assessor de Imprensa da Administração do Lago Sul e, atualmente, Secretário Adjunto da Secretaria de Estado de Proteção e Defesa Civil do Distrito Federal.

Lira decidiu se candidatar a deputado distrital para poder fazer mais pela comunidade, já que, como líder comunitário, os seus poderes são limitados. A motivação para se candidatar veio da necessidade de São Sebastião ter um representante na Câmara Legislativa para defender as reivindicações de seus moradores.

Ele acredita que, com o apoio da comunidade local, poderá conquistar a vitória nas urnas. Com isso, na Câmara Legislativa, pretende apresentar projetos voltados não só para a cidade, mas para todo o DF, principalmente, na área social, como a construção de escolas profissionalizantes – a fim de qualifiicar os jovens para o mercado de trabalho, afastando-os da criminalidade – e de mais creches. Segundo Lira, existe a necessidade do investimentos em políticas públicas a fim de impedir, de certa forma, que o adolescente se envolva com drogas e entre no mundo do crime. Também quer resgatar, na área de educação, os valores morais e cívicos, para que os estudantes se tornem cidadãos plenos e tenham orgulho de ser patriotas.

No entanto, Lira afirma que seu projeto político em relação ao DF estará sempre incompleto. Será completado a partir das demandas dos brasilienses ao apresentarem suas reivindicações a ele. Quer ser o primeiro líder comunitário a ser eleito deputado distrital porque, assim, poderá atender melhor o cidadão comum que for até a Câmara Legislativa pedir para que seja tampado um buraco em sua rua ou reivindicar mais segurança, pois será o representante da comunidade a defender seus direitos.

Para Lira, é possível contar com a parceria do deputado distrital Alírio Neto na questão do combate às drogas, que têm contribuído para aumentar a violência em São Sebastião. Além disso, Alírio pode contribuir com o projeto Pró-Vítima, da Sejus, que ajuda a aliviar o sofrimento de pais que perdem seus entes queridos, e o do casamento comunitário, que já beneficiou alguns moradores da nossa Região Administrativa.

07/07/2014

PEÇO A TODOS VOCÊS UM VOTO DE CONFIANÇA. VOCÊ QUE VOTOU EM MIM NA ELEIÇÃO PASSADA, REPITA O VOTO E TRAGA MAIS DOIS OU TRÊS!




A juventude está nas ideias e na capacidade de se renovar a cada dia. Precisamos de representantes na Câmara Legislativa que, além de experiênte, seja responsável e confiável. Por isso me coloco à disposição dos eleitores de São Sebastião e das demais cidades do Distrito Federal para que, juntos, possamos proporcionar grandes transformações na saúde, educação e qualidade de vida da população.

Sou do Partido Humanista da Solidariedade - PHS 31.

06/07/2014

Chegou o tempo da colheita!



Contagem regressiva para a grande vitória! Começa hoje, oficialmente, a minha campanha política para Deputado Distrital através do PHS. Como disse em posts anteriores, será a luta do bem contra o mal, mas assim como Deus concedeu a Davi a vitória sobre o terrível Golias, ele também fará o mesmo comigo, já que combati o bom combate e guardei a fé!

Conto desde agora com o apoio dos eleitores de São Sebastião e de todo o Distrito Federal que terá que escolher entre os fichas sujas e os fichas limpa. Durante anos plantei sementes que brotaram grandes árvores e deram muitos frutos. Por isso considero esse período como o tempo da colheita que, com certeza, será farta!

Aqueles que votaram em mim na capnha passada deverão repetir o voto e conquistar mais dois ou três para garantir, de fato, a elição do deputado da nossa cidade. Desde já obrigado pela força!

LIRA

02/07/2014

Medalha da Defesa Civil do Distrito Federal

LIRA É CONDECORADO COM A MEDALHA DA DEFESA CIVIL DO DISTRITO FEDERAL. O EVENTO ACONTECEU NA BIBLIOTECA PÚBLICA NACIONAL COM A PRESENÇA DO VICE GOVERNADOR DO DF, TADEU FILIPPELLI.




RECORDAÇÃO: INAUGURAÇÃO DO CAIC UNESCO DE SÃO SEBASTIÃO



Na gestão do ex presidente da república, Fernando Collor, foi implementado no Brasil a construção dos Centros de Atenção Integral à Criança - CAIC.  Como o Paranoá - DF já havia sido contemplado com uma dessas unidades de ensino, a Agrovila São Sebastião, por fazer parte da sua área rural, tinha ficado de fora. Mas por causa da minha interferência junto ao ex Ministro da Casa Civil, Jorge Bornhausen, foi possível trazer para cá o CAIC, cuja inauguração contou com a presença do representante da UNESCO no Brasil e do Ministro da Educação (foto). Posar para a foto ao lado destas duas autoridades foi, para mim, motivo de satisfação e de alegria por ter feito a minha parte como líder comunitário desta cidade.

LIRA I

01/07/2014

CRATERA NO MEIO DO ASFALTO A POUCOS METROS DA SEDE DA AMINISTRAÇÃO DE SÃO SEBASTIÃO.





Quem hoje reclama de alguns buracos no meio do asfalto deveria, pelo o menos, ver as fotos que tirei em meados de 1997, da cratera que se formou a poucos metros da Administração de São Sebastião. Tive que entrar dentro do buraco para provar para as autoridades que o problema era muito mais sério do que se pensava. Após várias reclamações e de ter levado o caso para a imprensa, a pista foi, finalmente, recuperada.

LIRA I

26/06/2014

Carta alusiva ao 21º aniversário de São Sebastião





Caros (as) moradores (as):

No dia 25 de junho, deste ano, a cidade de São Sebastião completou, oficialmente, 21 anos de existência, com uma população cada vez mais jovem e exigente. A maioria dos moradores não tem, provavelmente, conhecimento de fatos históricos e recentes da região, mas agora chegou o momento de adquirir esse conhecimento.

Agradeço a todos os companheiros que se juntaram a mim no passado para tornar a então Agrovila independente do Paranoá. Foi uma briga de vários anos, mas que, ao final, foi vitoriosa com a conquista da Administração (RA XIV).  O tempo provou que eu estava certo quando, em 1986, criei a Comissão Pró Independência para lutar pelo fim do descaso governamental da época. Eu sabia que depois de criada a Região Administrativa de São Sebastião todas as benfeitorias como água potável, luz, telefone, bancos e asfalto viriam naturalmente. Entre a cidade que temos e a cidade que queremos (a cidade ideal), ainda existe um longo caminho a ser percorrido.  Mas quem sabe, no futuro próximo, isso não venha acontecer? O futuro da nossa comunidade está nas mãos dos seus próprios moradores. São eles que vão determinar, através das urnas, quem irá representá-los junto à Câmara Legislativa nos próximos anos. Se a escolha for errada, os problemas que nos afligem, atualmente, tendem a piorar ainda mais!

O GDF precisa registrar São Sebastião em cartório e entregar as escrituras dos imóveis urbanos e rurais, para que a cidade possa existir de fato e de direito. O mesmo deve ocorrer em relação à construção do hospital, creches, Centro Cultural e escolas públicas.

São Sebastião foi o local que escolhi para viver juntamente com a minha família. Tenho um grande orgulho dela e de fazer parte da sua história!  Ela deixou de ser o Arraial de São Bartolomeu para ser, simplesmente, São Sebastião, cidade maravilhosa em pleno planalto central, lugar sonhado por Dom Bosco como sendo a terra que jorra leite e mel!

Parabéns São Sebastião pelos seus 21 anos de independência! Foi ótimo estar com você durante todos esses anos. Obrigado, também, por tudo que você me deu e por tudo que ainda há de me dar!

São Sebastião, DF, 25 de junho de 2014.

Ivonildo Di Lira

Líder Comunitário que presidiu a Comissão Pró Independência de São Sebastião de 1986 a 1993 e que viabilizou a criação da Região Administrativa de São Sebastião (RA- XIV).

15/06/2014

Escritora holandesa descreve o Brasil para os brasileiros

Depois o povo ainda fala mal do meu e do nosso País!!!! acorda povão que o Brasil te ama.
Leia isso
.
Escritora holandesa, falando sobre o Brasil. Texto bárbaro.
"Os brasileiros acham que o mundo todo presta, menos o Brasil, realmente parece que é um vício falar mal do Brasil. Todo lugar tem seus pontos positivos e negativos, mas no exterior eles maximizam os positivos, enquanto no Brasil se maximizam os negativos. Aqui na Holanda, os resultados das eleições demoram horrores porque não há nada automatizado. Só existe uma companhia telefônica e pasmem: Se você ligar reclamando do serviço, corre o risco de ter seu telefone temporariamente desconectado.
Nos Estados Unidos e na Europa, ninguém tem o hábito de enrolar o sanduíche em um guardanapo - ou de lavar as mãos antes de comer. Nas padarias, feiras e açougues europeus, os atendentes recebem o dinheiro e com mesma mão suja entregam o pão ou a carne.
Em Londres, existe um lugar famosíssimo que vende batatas fritas enroladas em folhas de jornal - e tem fila na porta.
Na Europa, não-fumante é minoria. Se pedir mesa de não-fumante, o garçom ri na sua cara, porque não existe. Fumam até em elevador.
Em Paris, os garçons são conhecidos por seu mau humor e grosseria e qualquer garçom de botequim no Brasil podia ir pra lá dar aulas de ‘Como conquistar o Cliente’.
Você sabe como as grandes potências fazem para destruir um povo? Impõem suas crenças e cultura. Se você parar para observar, em todo filme dos EUA a bandeira nacional aparece, e geralmente na hora em que estamos emotivos...
Vocês têm uma língua que, apesar de não se parecer quase nada com a língua portuguesa, é chamada de língua portuguesa, enquanto que as empresas de software a chamam de português brasileiro, porque não conseguem se comunicar com os seus usuários brasileiros através da língua Portuguesa. Os brasileiros são vitimas de vários crimes contra a pátria, crenças, cultura, língua, etc… Os brasileiros mais esclarecidos sabem que temos muitas razões para resgatar suas raízes culturais.
Os dados são da Antropos Consulting:
1. O Brasil é o país que tem tido maior sucesso no combate à AIDS e de outras doenças sexualmente transmissíveis, e vem sendo exemplo mundial.
2. O Brasil é o único país do hemisfério sul que está participando do Projeto Genoma.
3. Numa pesquisa envolvendo 50 cidades de diversos países, a cidade do Rio de Janeiro foi considerada a mais solidária.
4. Nas eleições de 2000, o sistema do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) estava informatizado em todas as regiões do Brasil, com resultados em menos de 24 horas depois do início das apurações. O modelo chamou a atenção de uma das maiores potências mundiais: os Estados Unidos, onde a apuração dos votos teve que ser refeita várias vezes, atrasando o resultado e colocando em xeque a credibilidade do processo.
5. Mesmo sendo um país em desenvolvimento, os internautas brasileiros representam uma fatia de 40% do mercado na América Latina.
6. No Brasil, há 14 fábricas de veículos instaladas e outras 4 se instalando, enquanto alguns países vizinhos não possuem nenhuma.
7. Das crianças e adolescentes entre 7 a 14 anos, 97,3% estão estudando.
8. O mercado de telefones celulares do Brasil é o segundo do mundo, com 650 mil novas habilitações a cada mês.
9. Telefonia fixa, o país ocupa a quinta posição em número de linhas instaladas..
10. Das empresas brasileiras, 6.890 possuem certificado de qualidade ISO-9000, maior número entre os países em desenvolvimento. No México, são apenas 300 empresas e 265 na Argentina.
11. O Brasil é o segundo maior mercado de jatos e helicópteros executivos.
Por que vocês têm esse vício de só falar mal do Brasil?
1. Por que não se orgulham em dizer que o mercado editorial de livros é maior do que o da Itália, com mais de 50 mil títulos novos a cada ano?
2. Que têm o mais moderno sistema bancário do planeta?
3. Que suas AGÊNCIAS DE PUBLICIDADE ganham os melhores e maiores prêmios mundiais?
4. Por que não falam que são o país mais empreendedor do mundo e que mais de 70% dos brasileiros, pobres e ricos, dedicam considerável parte de seu tempo em trabalhos voluntários?
5. Por que não dizem que são hoje a terceira maior democracia do mundo?
6. Que apesar de todas as mazelas, o Congresso está punindo seus próprios membros, o que raramente ocorre em outros países ditos civilizados?
7. Por que não se lembram que o povo brasileiro é um povo hospitaleiro, que se esforça para falar a língua dos turistas, gesticula e não mede esforços para atendê-los bem? Por que não se orgulham de ser um povo que faz piada da própria desgraça e que enfrenta os desgostos sambando.
É! O Brasil é um país abençoado de fato. Bendito este povo, que possui a magia de unir todas as raças, de todos os credos. Bendito este povo, que sabe entender todos os sotaques. Bendito este povo, que oferece todos os tipos de climas para contentar toda gente. Bendita seja, querida pátria chamada BRASIL!
Escritora Aliefka Bijlsma

11/06/2014

Brasil entrará com US$ 28 bi para criar Banco dos BRICS


O Brasil vai se comprometer com US$ 28 bilhões na formação do Banco dos BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) e na criação do Arranjo Contingente de Reservas (ACR). As instituições, planejadas pelo bloco, têm como objetivo ocupar parcialmente o espaço hoje do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional.As duas instituições, negociadas desde 2012, começarão a sair do papel no próximo mês, na 6ª reunião de Cúpula do bloco, em Fortaleza. O banco terá capital inicial de US$ 10 bilhões, com cotas iguais para cada um dos cinco países, e a garantia de US$ 8 bilhões a serem aportados apenas em caso de necessidade.Os outros US$ 18 bilhões serão a reserva brasileira para o ACR, que terá o mesmo aporte de Rússia e Índia, além de US$ 5 bilhões da África do Sul e US$ 41 bilhões da China, o sócio mais rico, em um valor total que chega a US$ 100 bilhões.A reunião de Fortaleza é a primeira de um novo ciclo dos BRICS, cuja primeira reunião formal aconteceu em 2009, em Ecaterimburgo, na Rússia. 

O banco e o ACR são os primeiros resultados concretos de um bloco que surgiu para tentar ser uma alternativa à dominação dos países desenvolvidos das chamadas instituições de Bretton Woods, Banco Mundial e Fundo Monetário Internacional.


"A criação dessas instituições é uma forte mensagem da disposição dos países membros em aprofundar e consolidar parcerias econômicas e financeiras", afirmou o embaixador José Alfredo Graça Lima, subsecretário-geral Político II do Itamaraty. "São instituições espelho, na medida em que obedecem as mesmas regras, as mesmas inspirações, mas não têm intenção de competir".Não há dúvida, no entanto, que o banco de desenvolvimento dos BRICS - que ainda não tem um nome formal - pretende servir de alternativa ao Banco Mundial. 

O secretário-adjunto da Secretaria de Relações Internacionais do Ministério da Fazenda, Fernando Pimentel, explica que a formação do banco poderá ir além dos sócios originais. A intenção é abrir a participação a países fora do bloco. "Inclusive países desenvolvidos. O formato ainda será discutido", afirmou.Graça Lima deixa claro que o banco poderá financiar obras de infraestrutura e desenvolvimento sustentável em países que têm dificuldades de obter recursos nas instituições tradicionais. Não está definido, no entanto, se o banco poderá financiar obras em países que não participam do banco ou apenas em cotistas. 

"A ideia do banco é suprir uma necessidade, cada vez mais evidente, que é financiar projetos de infraestrutura e desenvolvimento sustentável não só nos BRICS, mas em países fora, como por exemplo os africanos, que têm essa necessidade e podem encontrar dificuldades obtenção de recursos", afirmou. Já o ACR, ideia brasileira, será reservado, em princípio, para os cinco membros do bloco - que não deve crescer a curto prazo. A intenção é ter uma forma de garantir a segurança financeira dos cinco países, que poderão pegar empréstimos de curto prazo em caso de problemas nas suas balanças de pagamento. Uma espécie de FMI com poucos sócios e mais amigável. "É para ser usado em emergências. Não se espera que seja aplicado tão cedo", disse Pimentel. Um conselho de governança e um conselho técnico terá que analisar cada pedido antes de liberar os recursos, que virão das reservas dos próprios países.

Fonte: Literatura Clandestina

10/06/2014

RECORDAÇÃO DE 2009: MUTIRÃO DA CASA PRÓPRIA NA QUADRA 800, DE SAMAMBAIA, DF.





O governo entrou com o terreno e com alguns materiais de construção e o povo, com a mão de obra. A união fez a força e, através de mutirão, foram erguidas cerca 1.200 casas em poucos dias. Me orgulho de também ter feito parte dessa história como um dos voluntários. 

LIRA I